Naturalmente, o software da High Fidelity usa a posição das mãos e da cabeça (através do headset e dos controles tradicionais) para estimar onde estão os pés, joelhos, quadris e cotovelos do usuário. Com o uso desses sensores, o sistema não precisará virtualizar essas ações – que podem trazer resultados equivocados.

É possível que essa técnica seja o próximo passo para a evolução da tecnologia de realidade virtual. Apesar de a plataforma já habilitada para o Vive Tracker estar disponível para qualquer pessoa, por enquanto os rastreadores estão liberados apenas para desenvolvedores.